Mestre Sérgio Santos

Shanka prakshálana

 

Shanka prakshálana não está catalogado como um kriyá clássico, porém não resta nenhuma dúvida que essa é a sua categoria.

Esta técnica é aplicada para a desintoxicação e purificação do aparelho excretor. Consiste numa lavagem intestinal intensiva, para a melhoria da saúde como um todo. 

Existem basicamente duas versões de shanka prakshalana: segundo o Swásthya, Yôga antigo, e conforme descrição do Hatha, Yôga mais moderno. Pode-se experimentar as duas maneiras diferentes e ver qual delas você mais se adapta e tem melhores resultados. A versão do Swásthya é mais simples e encontra-se no livro Tratado de Yôga, do Mestre DeRose.   

O procedimento mais utilizado consiste em beber água levemente salgada, no PH fisiológico, para que não seja absorvida pelo organismo. Por meio de determinadas técnicas corporais, essa água elimina resíduos e sedimentos que normalmente se acumulam ao longo dos intestinos. A água é expelida cada vez mais limpa e clara, podendo sair totalmente transparente.

O fluxo contínuo de água promove uma lavagem total e profunda dos órgãos internos. Os resultados se refletirão em vários níveis, desde a tonificação das paredes intestinais e estímulo do peristaltismo, bem como, tornando o hálito mais puro, a pele mais limpa, melhorando o sono, e trazendo uma sensação de bem-estar e disposição geral. É utilizada numa versão mais light até mesmo em alguns SPAs europeus, como técnica de rejuvenescimento. 

Importante: mesmo com todos os detalhes aqui expostos, não pratique sem a orientação pessoal de um instrutor experiente. Se você for meu aluno e principalmente se for praticar pela primeira vez, me avise com antecedência.

Contra-indicações: pessoas com debilidade geral, pressão alta, prisão de ventre crônica, desinteria, gastrite, úlcera no estômago, colite ou câncer, devem abster-se de fazer este kriyá.

 

Preparação

Considerando que o exercício levará cerca de duas horas, aconselhamos que se reserve uma manhã de domingo ou algum dia em que disponha de bastante tempo livre.

Na véspera, faça uma refeição leve algumas horas antes de dormir.

O momento ideal para a prática é pela manhã, em jejum total. Sugiro, no dia anterior, deixar de molho duas ou três ameixas secas em um copo d`água e quando elas estiverem bem macias, comê-las como última refeição da noite, antes de se deitar.

Depois de finalizar a técnica, evite atividades que demandem esforço físico. Se quiser praticar Swásthya Yôga, não faça ásanas.

Logo após é preciso se alimentar. A primeira refeição deve ser feita no mínimo 30 minutos depois da lavagem e, no máximo, uma hora depois dela. Tal refeição deve consistir exclusivamente de arroz branco bem cozido com uma colher de sopa de manteiga ou, então, azeite de oliva extra virgem.

Alimentos integrais tais como, aveia, arroz ou pães integrais e fibras em geral, não devem ser ingeridos no primeiro dia, bem como alimentos ácidos, enlatados, laticínios (leite, iogurte, queijos fortes), nem frutas cruas.

Após a primeira refeição, beba infusões de ervas ou água à vontade.

Agasalhe-se bem e evite expor-se ao frio.

 

 ---------------

Os exercícios 

Segue abaixo a seqüência dos quatro exercícios físicos. Mesmo se você achá-los maçantes ou fáceis demais, não deixe de fazê-los, pois cada um deles têm um efeito bem específico sobre uma parte do aparelho digestivo e excretor.

Primeiro exercício

Numa variação de trikonásana, em pé, os braços acima da cabeça, pernas separadas, flexione lateralmente ora para esquerda ora para direita, quatro vezes para cada lado. Utilize a respiração coordenada com os movimentos: movimento para cima com inspiração; para baixo, com expiração.  Não permaneça. Ao todo, as oito flexões não devem durar mais do que dez segundos.

Esses movimentos laterais agem sobre o piloro, válvula que controla a passagem entre o estômago e o duodeno, antes do intestino delgado. A cada flexão, uma porção de água entra no aparelho intestinal.

Trikônasana

Segundo exercício

Semelhante ao purnásana, sem deslocar os quadris, faça quatro torções para cada lado, como foi feito no exercício anterior. Ao torcer, expire.

purnasana2

Terceiro exercício

Semelhante ao rája bhujangásana, sem tocar os quadris no solo e com a ponta dos pés voltados para frente, faça um giro para um lado e para o outro, alternadamente, quatro vezes para cada lado.

bhujangásanaShanka

Quarto exercício

Semelhante ao matsyêndrásana, são quatro torções para cada lado, da mesma maneira como fizemos com os outros exercícios, rapidamente e sem permanência.

matsyendrasana

 

Ao todo, a seqüência total destes quatro exercícios não devem duram mais que um minuto. Isto parece-se com ásana, mas é ginástica, já que não tem a característica da permanência e, ainda, tem repetições.

-----------------------

Prepare uma boa quantidade de água filtrada e fervida. Mesmo se for utilizar água mineral, é conveniente fervê-la antes de adicionar sal. Considerando que você vai ingerir um mínimo de dois litros de água, prepare um pouco mais.

Salgue a água mantendo a proporção de uma colher de sobremessa para cada litro. Caso ache a água demasiadamente salgada, reduza a concentração de sal. Utilize sal marinho de boa qualidade.

1 - Ingira um copo d’água morna e salgada

2 - Faça a seqüência dos quatro exercícios em um minuto.

3 - Beba outro copo de água morna e salgada.

4 - Repita os exercícios.

5 - Continue assim até ter ingerido seis copos.

Após o sexto copo, em geral, de 5 a 30 minutos, você sentirá necessidade de ir ao banheiro. Se isso não ocorrer, pode ser que a presença de gases nos intestinos esteja bloqueando a passagem do líquido. Depois do sexto copo, não beba mais água, até ir ao banheiro. Utilize o bom senso: se você bebeu seis copos de água e ainda não conseguiu evacuar pela primeira vez, interrompa a ingestão de água e passe a executar apenas os exercícios, alternando-os com execução de alguns ciclos de nauli ou rajas uddiyana bandha ou, ainda, faça invertidas com permanência (viparíta karani, sarvangásana ou sirshásana). Assim que você conseguir ir ao banheiro pela primeira vez, tome mais um copo d’água e faça os quatro exercícios.

6 - Após a primeira ida ao toalete, o ritmo do shanka prakshálana fica assim:

- um copo d’água

- uma série completa de exercícios

- visita ao banheiro

- um copo d’água

- exercícios

- toalete

- um copo d’água

- exercícios

- toalete

- etc.

 

Após cada copo e exercícios haverá uma nova evacuação. Na primeira delas, saem as fezes normais. Nas subseqüentes, elas serão pastosas e depois irão ficando cada vez mais líquidas e claras.

Ao cessar a eliminação da água e antes da primeira refeição, faça um bom relaxamento.