Mestre Sérgio Santos

A importância da respiração!

 
 
Talvez ainda não tenha pensado a sério, sobre a importância da respiração, tendo em consideração que o ar é o nosso principal alimento, pelo simples facto de que sem ele não viveríamos muitos minutos e porque nascemos com a nossa primeira respiração e partiremos desta vida, quando exalarmos pela última vez.
 
A respiração é tão importante que consoante as nossas actividades, respiramos de uma forma diferente conforme cada função. Por exemplo, quando corremos respiramos de uma maneira e quando estamos sentados de outra forma, além de que a nossa respiração de vigília é muito diferente daquela que temos durante o sono.
 
Através da observação e experimentação os antigos Yôgis, na Índia milenar, verificaram as correlações subtis entre a respiração e as nossas actividades físicas, emocionais e psíquicas. Isto é, a pessoa ansiosa respira de um modo completamente diferente, da que está encolerizada e por conseguinte a que se sente feliz, respira de outro modo, da que é neurótica.
 
Por isso, para o Yôga, ao observarmos a forma como uma pessoa respira, podemos saber como ela está física, emocional e psiquicamente.
 
Na antiga Índia, os Yôgis estudaram as características da respiração, desde a sua extensão, ritmo, duração, amplitude, centro de gravidade, etc.
 
Descobrir qual é o comprimento da nossa respiração, é importante para percebermos como respiramos. Porém, como se mede de uma forma simples o comprimento da nossa respiração? A forma mais simples, é por exemplo, humedecer ligeiramente a palma da mão e colocá-la virada para cima, por debaixo das nossas narinas.
 
Então vamos testar o comprimento da nossa respiração. Durante a expiração, o nosso foco deve estar no ar projectado na palma da mão e sensação de frescura que este provoca. Comece por colocar a palma da mão a uma certa distância, até sentir a corrente de ar. Desta forma, mede o comprimento aproximado da respiração, pela distância a que a palma da mão se encontra.
 
À medida que expira, vá afastando aos poucos a sua mão até ao ponto onde deixar de sentir o ar na palma e essa será a medida máxima de alcance da sua respiração. Outra possibilidade, talvez mais precisa, será a de usar um pedaço de algodão suspenso por um cordel, colocando-o por debaixo das narinas e afastá-lo progressivamente até ficar imóvel.
 
No Gheranta Samhita, um dos tratados clássicos do Yôga, refere que se deve diminuir progressivamente o comprimento natural da corrente expirada, porque desse modo aumenta-se a vitalidade e o contrário reduz esta.
 
Os antigos sábios da Índia, os Rishis, também mencionam o facto de que quanto mais estivermos concentrados, mais curta a respiração se efectua, assim como no estado expandido de consciência, denominado samádhi, o qual constitui a meta do Yôga, a respiração é praticamente imperceptível.
 
Por isso, os Yôgis recomendam uma respiração consciente, lenta, profunda, nasal, silenciosa e abdominal ou completa, em que progressivamente diminuímos o seu comprimento, para dessa forma ampliar a nossa concentração.
 
Como o Yôga é uma filosofia prática, vamos agora treinar, de uma forma simples, aquilo que aprendemos ao longo deste texto sobre a respiração. Desse modo, sente-se com as costas direitas, com a cabeça bem posicionada no alongamento natural da coluna e tome consciência da sua respiração. 
 
Respire simplesmente, em silêncio, mas de forma consciente, profunda, suave e sinta o ar entrar pelas narinas, passar pela laringe, traqueia e brônquios. Depois expire lenta, profunda, doce e silenciosamente, com menos comprimento na duração desta. Concentre-se! Não se distraia! Continue o exercício durante algum tempo.
 
Por agora ficamos por aqui. Numa próxima vez, aprenderemos a usar as três faixas pulmonares isoladamente e em conjunto, que caracterizam a respiração yôgi e como utilizar a respiração para objectivos diversos. 
 
Pratique aquilo que aprendeu ao ler este texto para que se torne naturalmente, com o tempo de prática e treino, parte integrante da sua forma espontânea de respirar e lhe proporcione Lifestyle Alto Rendimento naquilo a que se dedica!
 
Prof. António Pereira
 
 
Lifestyle Alto Rendimento - Prof. António Pereira
Av. Manuel da Maia, 50 - R/C - Dto. (Pç. Londres)
Lisboa - Portugal